Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Meu País das Maravilhas

Partilhas de uma mãe que adora escrever e mostrar o lado bom da vida!

O Meu País das Maravilhas

Partilhas de uma mãe que adora escrever e mostrar o lado bom da vida!

«Meu» Algarve

Fui matar saudades e recarregar baterias no «meu» Algarve. Gosto muito de viver em São Miguel, há quem lhe chame «paraíso», mas nada como a nossa terra natal para retemperar energias para mais um ano de trabalho. Foi apenas uma semana mas deu para visitar a família e os amigos e de voltar à ilha de coração cheio. Trouxe na mala a memória dos dias de céu azul infinito, das manhãs de praia, dos pores do sol na serra e das noites de lua infinita.

IMG_9738.JPG

Chegar a Loulé, minha terra natal, e começar a avistar o Santuário da Mãe Soberana, o Castelo  e o Mercado Municipal dá um arrepio e sensação de bem estar indiscritível. Vêm à memória recordações de infância, quando passávamos por ali todos os dias para a escola ou quando regressava de Lisboa, nas férias da universidade.

 

IMG_0106.JPG

IMG_9759.JPG

Loulé é um concelho grande que começa na serra, na fronteira entre o Alentejo e o Algarve, e acaba no mar. Quarteira, Vilamoura, Quinta do Lago e Vale do Lobo são localidades mais conhecidas por quem costuma passar férias no Algarve, mas a beleza do barrocal algarvio não fica atrás na minha opinião.

Quando vou de férias, faço questão de aproveitar os dois lados do «meu Algarve». Em primeiro lugar, porque tenho família na serra, nas freguesias de Salir, Benafim e Alte. E, depois, porque adoro o cheiro das alfarrobas, das estevas e dos rosmaninhos (tão típicos daquela zona). É lá que tenho as minhas origens, foi lá que passei muitas das minhas férias de verão.

IMG_0011.JPG

IMG_9999.JPG

As minhas raízes são bem «algarvias», «muçulmanas» ou «mouras», como nos constumam chamar os lisboetas. Os meus pais, avós, bisavós e outros antepassados foram nascidos na freguesia de Alte. Por isso, acredito que sejamos descendentes dos muçulmanos que povoaram o Algarve em altura de conquistas.

Sabe-se, hoje, que a presença do homem no Concelho de Loulé remonta ao Paleolítico Antigo. Nos milénios seguintes, no período da Era dos Metais, intensificou-se a incursão dos povos do Mediterrâneo Oriental, que progressivamente penetram no Sudoeste Peninsular, culminando com a chegada dos Fenícios e dos Cartagineses. Estes fundaram as primeiras feitorias na orla marítima do território do actual concelho, promovendo a pesca, a prospecção da metalurgia e a actividade comercial. (https://pt.wikipedia.org/wiki/Loul%C3%A9)

Está patente, neste momento, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, uma exposição sobre os 7 mil anos de história do Concelho de Loulé na sua diversidade entre o Litoral, a Serra e o Barrocal, entre a Pré-história, Proto-história, e o Período Romano, Antiguidade Tardia, Islâmico e Medieval. (http://www.cm-loule.pt/pt/noticias/12564/concelho-de-loule-da-a-conhecer-7-mil-anos-da-sua-historia-no-mosteiro-dos-jeronimos-em-lisboa.aspx)

18766142_10154665560861134_1121492581916021898_n.j

Loulé está cheia de história, mas também tem a beleza das praias. Nos meses de Maio e Junho, ainda é possível estacionar facilmente e encontrar um lugar calmo no areal. Tenho algumas praias de eleição longe dos locais turísticos. A Praia do Trafal é uma delas. Pertence à freguesia de Quarteira e fica entre a praia de Loulé-Velho e Vale do Lobo. O acesso em terra batida talvez seja um dos motivos para que a praia seja ainda pouco frequentada. Mas, o pinhal em volta convida a fins de tarde com um pôr-do-sol inesquecível.

18740758_10154672012486134_6797387863295805997_n.j

18839153_10154676903676134_7773915948268665754_n.j

 

IMG_9791.JPG

Para um dia de praia mais animado, vou à praia da Falésia de Vilamoura, onde me posso deliciar com uma bola de berlim a meio da manhã e «sunset partys» ao fim da tarde.

18767655_10154673793146134_3789419124921753163_n.j

IMG_9823.JPG

O sábado de manhã é sagrado para fazer uma visita ao Mercado Municipal, ou como bom louletano «ir à praça». Construído na primeira década do Séc. XX, tem uma arquitetura de inspiração árabe, inserido na corrente artística Arte Nova. É um verdadeiro ponto de encontro dos louletanos e local de sociabilidade. É frequente encontrar também bastante turistas curiosos que procuram o artesanato e produtos tradicionais.

IMG_9760-EFFECTS.jpg

Assim que se entra no Mercado, é um misto de cheiros e cores! Desde as fragâncias das ervas aromáticas e da fruta da época, ao salgado do peixe fresco, ao pão acabado de confecionar, aos queijos e enchidos e ao agri-doce das azeitonas e frutos secos.

IMG_9967.JPG

O Calçadão de Quarteira convida a longos passeios em família, de dia ou de noite, à beira mar. Este ano, tive que ir conhecer um novo espaço de uns amigos com sumos naturais e smoothies acabados de fazer, que conjugam as mais variadas frutas e legumes frescos. Chama-se «Jungle Juice» e faz as maravilhas de quem procura um lugar agradável e com bebidas e saladas saudáveis (https://pt-br.facebook.com/Jungle-Juice-HealthyJuice-Bar-355871981479779/).

18835576_10154678649926134_1628487488913039899_n.j

18813400_10154678650106134_6914984692313447681_n.j

18881770_10154678649911134_2864427818287346709_n.j

18920297_10154678649916134_3808718936228897265_n.j

 

 

 

A cidade de Loulé tem uma Parque Municipal ótimo para programas com crianças. Por trás do imponente Monumento de homenagem ao Engenheiro Duarte Pacheco, encontra-se o espaço ver de e nobre da cidade. Os louletanos chamam-lhe «Mata» e lá as crianças podem deliciar-se a brincar no parque infantil, a praticar vários desportos ao ar livre nos espaços verdes e complexos desportivos, as famílias encontram espaço para piqueniques e festas infantis, ou apenas para um passeio com o seu animal de estimação.  As Piscinas Municipais e campos de ténis e rugby fazem parte também deste parque.

 

 

18838895_10154686929696134_7590925533755521596_n.j

Não quis vir embora sem antes fazer uma visita à Marina de Vilamoura, para comer um gelado e um macarron. Este ano, descobri, uma nova e simpática loja. Chama-se «O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa» e já existia em Lisboa. Tem a particularidade de permitar uma viagem no tempo ao último século da história de Portugal e do Mundo. Nas latas de conserva constam datas entre 1916 e 2017, com um acontecimento de relevo do ano em causa e assinalando-se o nascimento das personalidades mais relevantes de cada data. Quando se entra a sensação é de estarmos num circo de latas coloridas. (http://www.mundofantasticodasardinha.pt/).

IMG_0066.JPG

IMG_0095.JPG

 

 

 

 

IMG_0097.JPG

Deixo agora aqui a sugestão de alguns sítios onde gosto de comer no concelho de Loulé:

- Cantina dos Sabores - Restaurante com muitas opções vegetarianas (https://www.facebook.com/Cantina-Dos-Sabores-857755674322435/) e Bloom (https://www.facebook.com/bloombycantinadossabores/).

- Restaurante «Pescador» - Restaurante familiar perto do Mercado Municipal de Loulé para comer peixe fresco e comida tradicional, ambiente muito acolhedor (https://www.facebook.com/restaurante.opescador.9/).

- Hamburgueria Casavostra, em Almancil (https://www.facebook.com/HamburgueriaCasavostra/)

- Tuttapanna - Restaurante italiano e de sushi em Vilamoura (https://www.facebook.com/vilamoura1/)

- Monte da Eira, em Clareanes (https://www.facebook.com/RestauranteMontedaEira/)

- Tia Bia - Barranco do Velho - Especialidades algarvias e caça - (https://www.facebook.com/atiabia/)

- Marisqueira «O Jacinto», em Quarteira (https://www.facebook.com/RestauranteoJacinto/)

- O Grego (https://www.facebook.com/OGrego/)